Menu

Paróquia Nossa
Senhora de Fátima

Dom Paglia: trabalho não se torne ídolo, a família esteja no centro

30 JUN 2016
30 de Junho de 2016
É preciso uma cultura do trabalho que vença o individualismo e coloque sempre no centro a pessoa e a família. Foi o que disse o presidente do Pontifício Conselho para a Família, Dom Vincenzo Paglia, na inauguração, na tarde da última quinta-feira (30/06), em Roma, do Festival do Trabalho.

O arcebispo evidenciou que o trabalho se inscreve no eixo do entrelaçamento “pessoa, família e sociedade”. Por isso, quando se desvincula o trabalho da pessoa e da família, se atinge “de cheio” a sociedade e as relações humanas, advertiu.

O trabalho não se anteponha à pessoa

Sem dúvida, o trabalho é decisivo para a dignidade da pessoa, mas “não deve, contudo, tornar-se um ídolo sobre cujo altar sacrificar todas as coisas, ideais e afetos familiares”, reiterou o prelado.

Dom Paglia evidenciou ainda a importância da festa como momento em que a sacralidade da pessoa é “celebrada na gratuidade contra a tentação do primado absoluto da economia”.

Combater trabalho informal e exploração dos mais fracos

Hoje, é preciso mais do que nunca uma cultura que supere a do simples assistencialismo”, que ajude os jovens e que “se oponha com firmeza ao trabalho informal e à exploração dos mais fracos”, disse o presidente do dicastério vaticano para a Família.

O prelado exortou a colocar a questão do trabalho no centro da “preocupação civil” evitando, mesmo nos momentos de crise, “a tentação de aceitar condições e retribuições desumanas, desprovidas das mínimas condições de segurança e de legalidade”.

Família põe à prova mundo do trabalho

Em seu pronunciamento, o arcebispo citou mais vezes o Papa Francisco e, em particular, a Exortação apostólica Amoris laetitia. Para o Papa, “a família coloca à prova” a organização do trabalho, afirmou Dom Paglia.

A exemplo de São José, pai e trabalhador, tenham “um olhar capaz de ver nos trabalhadores não números”, mas pessoas que “através da experiência do trabalho” colaboram “para a obra criadora do Pai”, concluiu.
Voltar
Tenha você também a sua rádio